Verdades e mentiras sobre carro bicombustível!
publicado em 15/04/2011


É impressionante como a desinformação e boatos geram confusão sobre o uso de carros com tecnologia flex.


Gol Total Flex
800x600   1024x768   1280x1024

O Gol Total Flex foi o primeiro modelo bicombustível a entrar no mercado em 2003. Desenvolvida pela Bosch e Magneti Marelli a tecnologia se popularizou e seu sucesso foi reconhecido no mundo inteiro. No entanto, há muita discussão e mitos que circulam entre os motoristas, frentistas e curiosos.

Enumeramos as principais dúvidas:
1 - Como funciona o sistema Flex?
Através de um sensor no coletor de escapamento (Sonda Lambda) é informado com precisão a quantidade de álcool e gasolina presentes no tanque. Com base nisto, o sistema reconhece e adapta automaticamente as funções de gerenciamento do motor para qualquer proporção de mistura de álcool e de gasolina que esteja no tanque.

2 - Há dois grandes tanques de combustíveis?
NÃO. Possui um tanque principal como todos os modelos convencionais. O que há é um pequeno reservatório auxiliar com gasolina para garantir a partida quando se usa álcool em temperaturas abaixo de 20 °C.

3 - Tenho que abastecer com gasolina na primeira vez?
NÃO. O sistema não precisa de nenhum tipo de escolha em qualquer ocasião.

4 - Devo evitar abastecer com um tipo de combustível por muito tempo?
NÃO. O carro não fica "viciado" em nenhum tipo de combustível.

5 - Qual a proporção ideal de mistura para álcool e gasolina?
Não há proporção ideal. Qualquer proporção fará o motor funcionar corretamente. Pode-se misturar os combustíveis como quiser.

6 - Deve-se evitar o uso de combustível aditivado?
Se o carro estiver utilizando mistura em qualquer proporção, sim. Mas se estiver apenas com um tipo de combustível, não tem problema.

7 - A gasolina do tanque auxiliar envelhece?
SIM. Se mantida no reservatório por muito tempo sofrerá um processo de oxidação. Para retarda o envelhecimento é recomendado o uso de gasolina especial com alta octanagem.

8 - Se a gasolina do tanque auxiliar acabar, o que acontece?
Se o carro for abastecido com álcool demorará a entrar em funcionamento, o mesmo que acontece num motor convencional a álcool. Se a temperatura for muito baixa o motor pode não funcionar.

9 - O abastecimento contínuo com álcool, por ser mais corrosivo, pode diminuir a vida útil do motor Flex?
NÃO. O motor Flex é projetado de fábrica com peças e equipamentos para uso contínuo com álcool. O tempo de vida útil é o mesmo de um veículo original a gasolina. O problema acontece quando o álcool está adulterado, contendo mais água que deveria. Abasteça sempre em postos de confiança.

10 - Posso instalar um kit de gás (GNV) num carro bicombustível?
SIM. O padrão é o mesmo da instalação de um carro convencional. Escolha uma oficina que faça o serviço com segurança e qualidade.

11 - O carro Flex abastecido com gasolina tem o mesmo desempenho de um carro comum a gasolina?
NÃO. A taxa de compressão do motor foi projetada para favorecer o equilíbrio entre os dois combustíveis. No caso da gasolina, há uma leve perda de desempenho em relação ao motor convencional.

12 - Se misturar os dois combustíveis o desempenho será como o de um carro só com álcool?
NÃO. O desempenho será proporcional a quantidade de cada combustível. O desempenho do álcool é superior ao da gasolina.

13 - A manutenção de um carro Flex é mais cara que um carro a gasolina?
SIM. Por conter peças que atendem ao uso de álcool, possuem preços mais elevados nestas peças específicas.

14 - Posso transformar um carro convencional em Flex?
Não é recomendado. Para garantir desempenho, performance, sem poluir o ambiente e garantindo a durabilidade das peças, é preciso que o sistema Flex Fuel seja desenvolvido especialmente para ele.

Comente abaixo a sua experiência no assunto.

Compartilhe esta notícia: