SMS e direção: uma mistura que não combina!
publicado em 10/07/2009


A revista Car & Driver realizou um teste que comprova que enviar mensagens de texto (SMS) é mais perigoso que dirigir bêbado. Os testes foram realizados em simuladores e depois foram realizados em carros de verdade.

Teste feito pelos jornalistas em 3 situações
Jordan Brown, de 22 anos e Eddie Alterman, de 37 anos foram os dois jornalistas da revista que realizaram o teste em três condições: lendo um SMS, escrevendo um SMS, e bêbados. Eles tentavam frear o veículo enquanto estavam dirigindo nessas condições. Veja os resultados.

Brown no teste do SMS
A 56 km/h, Brown só conseguiu parar o carro 6,5 metros à frente do local onde um condutor em condições normais de atenção teria parado, enquanto lia uma mensagem e 4,8 metros à frente enquanto escrevia um SMS. A 112 km/h, parou 9 metros a mais do local onde devia parar enquanto lia e 9,4 enquanto escrevia.

Brown no teste da bebida
Brown bêbado e correndo a 56 km/h, percorreu 2,1 metros a mais para conseguir frear. Bêbado e a 112 km/h, ele precisou de 4,5 metros a mais para frear.

Alterman no teste do SMS
O teste com Alterman ainda foi pior. Ele precisou de 57,3 metros a mais para conseguir frear a 56 km/h enquanto lia um SMS e 27,4 metros enquanto escrevia. A 112 km/h, Alterman levou 39,3 metros à frente do local correto de parada quando estava lendo um SMS e, acredite, 97,2 metros enquanto escrevia uma mensagem de texto no celular.

Alterman no teste da bebida
Assim como Brown, Alterman bêbado levou 2,1 metros a mais para frear a 56 km/h e 4,5 metros a 112 km/h.

Conclusão
Apesar desses resultados, vale lembrar que estes 2,1 e 4,5 metros que os jornalistas bêbados percorreram a mais, apesar de menores, são suficientes para causar graves acidentes e tirar a vida de milhares de pessoas. É o que acontece todos os anos. Por isso, se for dirigir, não beba e nem utilize SMS!

Fonte: Car & Drive Magazine
Texto: Equipe MotorClube

Compartilhe esta notícia: