Saiba quando os amortecedores precisam de manutenção
publicado em 08/12/2009


O amortecedor é um dos componentes da suspensão do veículo responsável pelo controle do movimento das molas para evitar balanços excessivos, garantir a segurança do automóvel e, conseqüentemente, dos seus ocupantes.

Os sinais abaixo  indicam que a vida do amortecedor está comprometida:
- menor estabilidade em curvas;
- maior distância para frenagem;
- desgaste de pneus e peças da suspensão;
- risco de aquaplanagem;
- balanço excessivo e vibrações

"Ao perceber qualquer anormalidade na suspensão é importante que o consumidor faça uma revisão da suspensão e troque as peças necessárias. Além disso, recomendamos uma revisão aos 40 mil quilômetros", explica a gerente da Monroe, empresa líder mundial no desenvolvimento e fabricação de amortecedores.

O amortecedor, estrutura hidráulica projetada para absorver os impactos do veículo, é composto basicamente por:
- pistão;
- tubos reservatório e de pressão;
- fluido e ar ou gás.

O trabalho exercido pelo equipamento está ligado ao princípio do deslocamento dos fluidos nos sentidos de extensão - controla o movimento das molas - e compressão, monitora o peso não sustentado do veículo.

"Dessa forma, um automóvel terá maior resistência durante o ciclo de abertura do amortecedor que é quando as molas absorvem os impactos com o solo", explica Ecaterina Grigulevitch, gerente Nacional de Marketing e Administração de Vendas da Monroe.

"Conseqüentemente", completa, "o equipamento também atua para evitar que o carro vibre mais que o normal ou absorva os impactos causando desconforto aos ocupantes."

Outro ponto importante para o bom funcionamento do amortecedor é o pistão - responsável pelo fluido do equipamento nos sentidos de extensão e compressão. Com o carro em movimento, a velocidade do pistão é contida devido à resistência que o óleo proporciona ao passar pelos seus orifícios. "

A força da resistência de um amortecedor depende da velocidade da suspensão, do número e tamanho dos orifícios do pistão. Assim, o amortecedor se adequa às condições do solo por onde trafega. Isso proporciona redução das vibrações, derrapagens e balanços", esclarece Ecaterina.


fonte: Monroe Amortecedores
 

Compartilhe esta notícia: