Planeje a potência do som de seu carro!
publicado em 15/06/2007


Na hora de montar o som de seu carro deve prestar muita atenção nas potências dos alto-falantes e dos amplificadores. Se não houver uma boa combinação, além de risco de queima dos equipamentos poderá ter uma sonorização desagradável.

No mercado encontramos, com mais freqüência, dois tipos de potência: a PMPO (Power Music Peak Output) e a RMS (Root Mean Square).

Qual a diferença entre PMPO e RMS?
PMPO  a medida de pico da potência em frações de segundo e não representa a potência real do amplificador ou do alto-falante. Geralmente, a PMPO é aproximadamente quatro vezes maior que a potência RMS.

Na hora de adquirir aparelhos para montar o som automotivo deve-se levar em consideração apenas a potência RMS, que representa a energia do sinal. A potência nominal ou RMS indica a quantidade máxima de energia que pode ser dissipada pela bobina. Portanto, é com ela que se trabalha em qualquer esquema de instalação.

Tudo deve estar em equilíbrio
Alto-falantes, CD players e amplificadores devem ter suas potências adequadas no mesmo sistema de som automotivo para que juntos façam uma sonorização de qualidade, além de evitar a queima dos produtos.

Trabalhar com uma margem de segurança de mais ou menos 20% de sobra na potência dos alto-falantes ajuda a evitar a queima dos produtos e manter a qualidade do som.

Como evitar distorções sonoras?
É recomendável o uso de alto-falantes que toquem mais alto do que o som que realmente se pretende para que não seja necessário usar o volume máximo. Este procedimento evita distorções sonoras. Exageros também não devem ser cometidos. Um alto-falante muito potente com um amplificador de pouca potência, por exemplo, resultará em má qualidade sonora e distorção porque o amplificador não terá energia suficiente para empurrar o alto-falante.

fonte: AutoZ
 

Compartilhe esta notícia: