Manutenção veicular preventiva do amortecedor
publicado em 28/08/2015

A manutenção preventiva ainda não é hábito do brasileiro, é o que indica pesquisa feita pelo setor de reposição de peças.


Falta de manutenção faz a conta ficar 30% mais cara
Mais de 60% dos motoristas só vão às oficinas quando o carro quebra, fazendo o bolso sofrer cerca de 30% a mais comparado ao gasto que teriam com uma manutenção preventiva das mesmas peças.

Amortecedor danificado e seus riscos
O amortecedor é uma das principais peças de segurança do veículo porque se estiver com problemas pode prejudicar a capacidade de frenagem, fazendo um carro a 80 km/h parar a 2,5 metros a mais de distância do que deveria normalmente, se o item estivesse em boas condições de uso.

Outros riscos que um amortecedor danificado pode gerar é a perda de estabilidade e a aquaplanagem, aumentando o risco de acidentes em curvas e em trechos mal pavimentados. Outro detalhe importante: o motorista sofre um desgaste físico maior, em até 26%.

Quando vistoriar e trocar o amortecedor
A Monroe Amortecedores aconselha a vistoria do componente a cada 10 mil quilômetros ou de acordo com o manual do veículo. A troca preventiva dos amortecedores é aconselhada quando o veículo atingir 40 mil quilômetros rodados ou quando o motorista notar: ruídos na suspensão, solavancos, balanços excessivos ou falta de contato dos pneus com o solo. A troca do amortecedor deve ser feita substituindo o kit completo, composto do coxim, batente e coifa.

Outros itens que precisam de manutenção preventiva
Além do amortecedor, a manutenção preventiva envolve a vistoria de outros itens de segurança do carro: suspensão, freios, pneus, rodas, direção, lubrificantes (óleo do motor, nível da água do radiador, fluido de freio), lâmpadas externas e internas, nível do recipiente de água e palheta do limpador de para-brisa e os equipamentos obrigatórios (macaco, triângulo e chave de roda).

Compartilhe esta notícia: