Manutenção preventiva – Seu carro indo mais longe
publicado em 12/05/2012

Embreagem, freios e sistema de arrefecimento são alguns dos itens que mais sofrem no trânsito das grandes cidades. Saiba como evitar grandes custos com reparos ou até mesmo um acidente.

Tráfego urbano penaliza mais o carro
Veículos que trafegam maior parte do tempo em grandes centros urbanos em baixa velocidade apresentam maior desgaste em peças, como embreagem, freios e sistema de arrefecimento. Por isso, é preciso ficar atento a esses componentes e realizar a manutenção preventiva para evitar grandes custos com reparos ou até mesmo um acidente.



Freios: você lembra que desgasta?
Quanto ao sistema de freios, a recomendação é fazer a verificação a cada cinco mil quilômetros. As peças devem ser inspecionadas pela oficina mecânica especializada de sua confiança, primeiramente de forma visual e a partir daí, se necessário, fazer a substituição de itens danificados, o que garante maior segurança e um menor custo de manutenção do sistema.

Embreagem: sofre muito no pé do motorista
Além do desgaste natural, a embreagem é um dos elementos mais prejudicados no trânsito caótico das grandes cidades. A sua durabilidade, então, varia conforme a utilização do conjunto e condições de uso. Dessa forma, a manutenção se resume na troca dos componentes avariados quando necessário. Contudo, existem algumas dicas que podem ajudar na conservação do mecanismo:

- Evite dirigir com o pé apoiado no pedal de embreagem. Isso causa o desgaste prematuro do conjunto;
- As trocas bruscas das marchas não são recomendadas, pois danificam o disco, ocasionando barulho e até impossibilitando a troca de marchas;
- Não ande em altas velocidades com marchas baixas ou em baixas velocidades com marchas altas. Essa prática sobrecarrega o disco, podendo inutilizá-lo por completo, além de gerar níveis de consumo de combustível maiores do que se utilizada a marcha correta para cada velocidade do veículo.

Sistema de arrefecimento em dia: temperatura ideal para o motor trabalhar
Facilmente, encontramos pelas ruas veículos parados com problemas no sistema de arrefecimento. Isso ocorre porque muitos motoristas não se preocupam com a manutenção correta e se esquecem que a performance, a vida útil dos elementos internos e o consumo de combustível são afetados diretamente quando o motor opera fora da faixa de temperatura recomendada.

Para manter esse processo funcionando adequadamente, só água limpa, como muitos pensam, não é suficiente. Além disso, é necessária a adição de aditivos antioxidantes nas proporções corretas, para que seja formada uma espécie de película protetora na parte interna do tubo e nos componentes metálicos do motor, evitando a sua corrosão.

Vale lembrar também que...
O uso de rotação e marchas corretas diminui a emissão de gases poluentes, o consumo de combustível e previnem o desgaste prematuro dos componentes do veículo.

Sistema de arrefecimento

A temperatura e vida útil do motor dependem da manutenção feita no sistema de arrefecimento

Fonte: Coluna Mecânica Online - Por Tarcisio Dias
Tarcisio Dias, é engenheiro mecânico, especializado em Mecatrônica. É também o gerente de conteúdo do portal Mecânica Online e integrante da ABIAUTO - Associação Brasileira de Imprensa Automotiva e do Engine of the Year – premiação alemã dos melhores motores mundiais.


Compartilhe esta notícia: