Álcool e direção: uma combinação explosiva que não será mais tolerada
publicado em 11/11/2006


Diante dos últimos acontecimentos envolvendo motoristas alcoolizados, que resultaram em acidentes fatais, a Sociedade Brasileira de Alcoologia (SBA), lança a proposta de reduzir pela metade a tolerância do consumo de álcool. Esta proposta surgiu após estudo onde ficou constatado que em grande parte das mortes ocasionadas pela mistura de direção e álcool, o motorista havia ingerido uma dose abaixo da considerada embriaguez pela legislação.


Por ano, 35 mil pessoas morrem vítimas de acidentes de trânsito no país, de acordo com dados da Universidade de Brasília (UnB). Em 2005, 2.584 motoristas, passageiros e pedestres perderam a vida nas ruas e estradas do Estado do Rio. Estima-se que grande parte dos acidentes graves resulte de uma mistura perigosa: álcool e volante.

Pelo código, comete infração quem dirige com concentração de seis decigramas de álcool por litro de sangue, equivalente a três copos de cerveja. A multa por dirigir embriagado é de R$ 957,70, considerada gravíssima, e sujeita o infrator a freqüentar aula de reciclagem. O Detran-RJ, porém, não tem dados sobre quantos já foram flagrados. A infração nem sequer consta entre as 10 mais aplicadas. O maior problema é justamente provar que o motorista bebeu além da conta.

Como a Justiça reconhece que ninguém é obrigado a fornecer prova contra si, o teste do bafômetro perdeu fôlego. A Lei 11.275, de 7 de fevereiro, surgiu para modificar o quadro existente. A prova testemunhal passou a ser considerada, caso o suspeito se negue a fazer o teste.

A relação álcool-volante revela facetas cruéis. Em cerca de 75% dos acidentes com vítimas fatais nas ruas e rodovias do país existe um motorista alcoolizado envolvido.

O álcool na corrente sanguínea provoca a redução da percepção e o retardamento dos reflexos. A dosagem excessiva conduz à perigosa diminuição da percepção e à total lentidão dos reflexos, diminuindo a consciência do perigo. Todo condutor em estado de embriaguez, mesmo leve, compromete sua segurança, a dos demais usuários da via e a dos passageiros que estão apostando suas próprias vidas 100% nas condições deste motorista.

Veja abaixo algumas dicas de como evitar acidentes:

1 - Não beba antes de dirigir.

2
- Os efeitos do álcool são mais fortes se você estiver em jejum.

3
- Não deixe que a pessoa que está no volante ingira bebida alcoólica.

4
- Se você vai a uma festa e pretende consumir bebidas alcoólicas, procure outra alternativa de transporte, pegue carona (com quem não bebe), um ônibus ou táxi.

5
- Ao sair da festa não aceite carona de quem bebeu, mas se considera apto a dirigir. Nesta hora, os mais confiantes são os que correm maiores riscos;

6
- Se houve consumo de cerveja o único remédio é o tempo. Para cada dose ingerida você deve esperar uma hora para que o álcool seja diluído pelo organismo.

7
- Não se engane. Café e banho gelado não conseguem eliminar os efeitos do álcool. Apenas podem deixá-lo mais desperto.

8
- Se você gosta de beber, deixe sempre o carro em casa. Beber com responsabilidade é a única forma de preservar sua vida.


fonte: Portal alcoologia.net

 

Compartilhe esta notícia: